000primeira
020opiniao
030local
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°4221 (Nova Série), Sexta-Feira, 1 de Mar¬o de 2013
09201

SUSANA WONG DIZ QUE AUMENTO
PEDIDO PELA MACAU WATER É MUITO ALTO

A directora da Capitania dos Portos, Susana Wong, reagiu ontem, após um almoço com jornalistas, às críticas do presidente da Macau Water, alegando que o pedido de 26% de aumento da taxa de serviço apresentado pela empresa foi considerado demasiado elevado, tendo em conta os ganhos. Segundo garantiu, ao longo dos anos, a Capitania tem mantido uma comunicação estreita com a Macau Water, que tem obtido ganhos estáveis nos últimos anos. “Segundo os dados, os ganhos obtidos pela Macau Water nos anos de 2010 e 2011 foram de 59 milhões de patacas e 56 milhões de patacas, respectivamente e ainda não foram enviados ao governo da RAEM os dados dos ganhos obtidos em 2012”, de acordo com uma nota de imprensa que cita a responsável da Capitania. Só depois de o Governo “ponderar todos os factores de forma cuidadosa, incluindo a qualidade do serviço, os recursos humanos, os custos de exploração e os ganhos da Macau Water, entre outros, irá apreciar o pedido de forma global”, ainda segundo a mesma nota. De acordo com o Contrato de Abastecimento de Água, o Governo tem o poder de decidir nesta matéria e actualmente não foi marcado um calendário. Anteontem, o presidente da Macau Water, Felix Fan Xiaojun, teceu duras críticas à Administração, falando de um “drama sem a orientação de um encenador” e de “um conflito gerado por interesses superficiais”. Alertou ainda dizendo que “a sociedade de Macau se está a perder devido à sua estrutura económica singular”. Sobre o aumento da taxa disse que tinha sido efectuado um pedido ao qual nunca obtiveram resposta.

COMUNIDADE CATÓLICA DA RAEM
HOMENAGEOU BENTO XVI

Centenas de católicos portugueses, chineses, filipinos e de outras nacionalidades encheram ontem a Sé Catedral de Macau para uma homenagem religiosa a Bento XVI, no dia da sua resignação como Papa. À entrada da Sé distribuíram-se postais e folhetos com fotografias e a biografia de Bento XVI antes de ser exibido um filme que passou em revista o seu pontificado de oito anos. “Nas três encíclicas que publicou, o nosso Papa realmente conseguiu apanhar a verdade de Jesus Cristo e acho que é muito profundo para nós, cristãos, meditarmos e procurarmos praticar essas verdades na nossa vida”, disse o Bispo D. José Lai aos fiéis numa cerimónia que durou mais de uma hora e em que se rezou, cantou e foram ouvidos vários testemunhos. José Lai lembrou que Bento XVI “disse que Macau também tem esta missão de evangelizar, de dar o evangelho de Cristo a toda a gente, sobretudo aos que habitam na China Continental” e salientou que ele “deixa o pontificado, mas continua a amar e a servir a Igreja”. No único testemunho proferido na língua de Camões, além da intervenção do bispo, um fiel descreveu Joseph Ratzinger como um “teólogo inteligente, uma verdadeira águia, que ao alto subia para voar e cujo olhar penetrante conseguia ver a realidade teológica e a vida dos homens”. Para Francisco Vizeu Pinheiro, que participou na paraliturgia, a mudança de Papa “é um momento histórico, porque ele é (...) como o timoneiro e o pastor da Igreja, o que não é fácil, porque há tempestades e lobos, há muitos inimigos que atacam seja quem for o papa, porque representa a Igreja”.

CORREIOS CRIAM CONTA DE E-MAIL
PARA ENVIAR CARTAS REGISTADAS

Lau Wau Meng, directora dos Correios de Macau, anunciou a criação de um sistema de email para toda a população que visa facilitar os serviços de correspondência. A responsável indicou que o número de cartas enviadas para cada cidadão duplicou de 30 para mais de 60, anualmente, em 20 anos. Esta é uma realidade diferente de outros países e regiões, nas quais o correio tradicional entrou em recessão. Por isso, o Governo pensa ser necessário criar meios diferentes para entregar as informações. Assim, vai estabelecer uma conta de email para a população receber cartas registadas, as informações do Governo e a publicidade das instituições comerciais. Segundo foi explicado, a nova conta de email vai estar ligada a um endereço pessoal, que estará disponível para as empresas e o Governo enviarem as informações. “A população tem o direito de escolher o que quer receber, o que pode evitar a distribuição de informações falsas”, disse aquela responsável. Sublinhou ainda o facto de este serviço já ter sido implementado em muitos países desenvolvidos. As autoridades pensam ainda que este sistema pode aliviar muito trabalho dos carteiros.

CRATO GARANTE QUE CHINA QUER COOPERAR COM INVESTIGADORES PORTUGUESES

A China reconhece a competência de Portugal no domínio da biotecnologia e dos materiais avançados e quer colaborar com investigadores portugueses naquelas áreas, realçou à agência Lusa o ministro português da Educação e Ciência, Nuno Crato. “Nós em Portugal temos investigação bastante desenvolvida em materiais avançados e biotecnologia. Isto é reconhecido pela parte chinesa e, por isso, estão interessados em colaborar connosco”, disse Nuno Crato acerca do Centro de Investigação sino-português, ontem inaugurado em Hangzhou, no penúltimo dia da visita do governante português à China. Segundo adiantou, o Centro “procurará sobretudo estabelecer plataformas de transferência tecnológica para a indústria”. “É uma investigação com objectivos empresariais”, precisou. Entre os referidos “materiais avançados”, o ministro mencionou a nanotecnologia, as células fotovoltaicas e os écrans de computadores. Nuno Crato iniciou na segunda-feira em Pequim uma visita de cinco dias à China, acompanhado por responsáveis de catorze instituições académicas e científicas, na maior delegação do género enviada por Portugal aquele país.

MO YAN REJEITA CRÍTICAS E LAMENTA “INVEJA”

O prémio Nobel da Literatura 2012, Mo Yan, recusou as críticas de atribuem ao autor uma grande proximidade do Governo chinês e sublinhou, numa entrevista a um jornal alemão, não escrever para o Partido Comunista. “Já afirmei várias vezes que escrevo para o povo chinês e não para o partido”, declarou ao semanário alemão Der Spiegel, sublinhando o desprezo pelos corruptos. Vice-presidente da Associação dos Escritores Chineses, uma organização difícil, e membro do Partido Comunista, Mo Yan foi criticado pelos dissidentes chineses de ser um defensor do regime. De nome verdadeiro Guan Moye, Mo Yan atacou o autor dissidente Liao Yiwu, que o acusou de ser um “poeta do Estado”. “Sei que ele inveja a recompensa que me foi dada [Nobel] e posso compreender isso. Mas as críticas são injustas”, afirmou. “As minhas opiniões políticas são claras. Basta ler os meus livros”, sublinhou. O escritor também rejeitou a “condenação” pelo artista dissidente Ai Weiwei relativamente à sua recente vitória nos Nobel. “Que intelectual pode pretender representar a China? Não o farei. Será que Ai Weiwei o pode fazer?”, perguntou. “Aqueles que representam verdadeiramente a China trabalham a terra e constroem as estradas com as mãos nuas”. O escritor também repetiu esperar a libertação “tão depressa quanto possível” do dissidente e prémio Nobel da paz 2010 Liu Xiaobo, que cumpre desde 2009 uma pena de 11 anos de prisão “por subversão”, depois de ter sido um dos autores de um texto em defesa da instauração da democracia.

SITE DO JTM “DESCANSA” DOMINGO
PARA TER NOVA IMAGEM NA segunda-FEIRA

A página electrónica do Jornal Tribuna de Macau (www.jtm/com.mo) não estará activa no domingo, por forma a ser submetida a uma intervenção técnica no âmbito de uma profunda reformulação gráfica e de conteúdos que terá resultados práticos já na próxima segunda-feira, dia 4. Pelo facto pedimos a máxima compreensão aos nossos leitores, na convicção de que as alterações introduzidas serão do agrado de todos. Na segunda-feira, por volta das 16 horas, o site voltará a estar disponível, então já com o novo visual.

 


 [Alto] [Voltar]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd