000primeira
020opiniao
030local
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°4221 (Nova Série), Sexta-Feira, 1 de Mar¬o de 2013
03017

VEM AÍ A SÉTIMA JORNADA DA LIGA DE ELITE
Lam Pak e Polícia são testes aos líderes Ka I e Monte Carlo

É o segundo jogo de maior dificuldade para o Ka I, depois da vitória sobre o Benfica. Josecler já conta com Cesinha e espera um adversário atrevido. Para o Monte Carlo, uma Polícia sempre aguerrida e em contra-ataque

vítor rebelo

Ainda sem qualquer ponto desperdiçado ao longo de seis rondas do futebol de Macau da I Divisão, Ka I e Monte Carlo mantêm a expectativa neste início de campeonato, mas têm logo atrás duas equipas à espera de uma oportunidade para “reentrarem” na luta pelo título.
Lam Pak e Benfica seguem os rivais e nesta sexta jornada têm desafios diferentes, teoricamente.
Enquanto que os comandados de Bruno Álvares abrem o fim-de-semana já hoje, defrontando o lanterna vermelha Sub-23, num desafio em que são claramente favoritos, já o Lam Pak tem um “osso complicado”, precisamente o líder.
O Ka I tem realizado até ao momento uma Liga de Elite sem qualquer mancha, somando vitórias em todas as partidas.
O conjunto de Josecler só defrontou um “grande” (Benfica, com triunfo por 1-0, golo do brasileiro Mayckol) e prepara-se agora para o segundo teste a sério, depois de uma goleada frente ao Kei Lun (8-0).
A equipa tri-campeã tem evidenciado enorme procura pela baliza, tendo apontado 28 golos em seis jogos, sofrendo apenas dois (ambos frente à Polícia), o que diz bem da atitude atacante dos pupilos de Josecler.
Mas este jogo face ao Lam Pak traz um interesse acrescido, podendo proporcionar um desafio aberto, isto porque o “onze” de Chan Man Kin já averbou uma derrota (com o Benfica) e um outro desaire pode começar a complicar as contas.
CESINHA DE REGRESSO. Os dois plantéis estão na máxima força, mas com o Ka I a ter a oportunidade de lançar na partida o seu mais recente reforço, o brasileiro Cesinha, que acaba por ser um regresso à família do Ka I, depois de ter jogado em Macau na época passada e de ter seguido para o Chipre.
O jogador já tinha sido sondado há cerca de um mês, mas só agora foi possível o Ka I chegar a acordo para que o médio ofensivo integre o plantel, numa altura em que já não está no grupo um outro brasileiro, Toledo.
“O Cesinha é mais um para ajudar a equipa, mas ainda temos de ver como ele está fisicamente, isso é o mais importante. Como jogador já sabemos as suas características, mas terá de estar bem em termos de condição física. Só chegou esta semana e fez um treino, portanto precisa de acelerar a sua preparação. De qualquer modo, ele estará no banco de suplentes no início do jogo com o Lam Pak e depois logo se verá”, disse em declarações ao JTM o treinador Josecler, na antevisão a mais uma jornada da competição.
ADVERSÁRIO ATREVIDO. Quanto ao adversário, o brasileiro aguarda por um Lam Pak atrevido e com necessidade de pontuar.
“Estamos preparados para a forma de jogar do Lam Pak, que é uma das boas equipas deste campeonato. Eles já perderam um jogo e por isso vão querer pontuar, mas nós não vamos mudar a nossa filosofia, a nossa forma aberta de jogar, quer a nível defensivo, quer ofensivo. Encaramos com seriedade como em todos os jogos, colocar os pés no chão e fazer o jogo que mais nos interessa para chegar à vitória. Penso que quem errar menos pode atingir os três pontos”.
A equipa campeã nos últimos três anos já não poder contar com Toledo, entretanto já no Vietname, onde havia actuado durante alguns anos.
Foi uma questão de opção... “O Toledo saiu porque foi uma opção nossa, treinador e dirigentes, pois tínhamos três jogadores para o mesmo lugar e pretendíamos alguém mais flexível. Ele deixa o clube depois de nos ter ajudado bastante e com uma boa imagem como homem, o que também é importante. Mas o futebol é assim.”
LAM PAK SEM MARGEM. Do lado do Lam Pak, o plantel está todo disponível para este “clássico” que certamente vai fazer “mossa”, isto porque qualquer que seja o resultado, terá reflexos imediatos na tabela classificativa.
“Se o Lam Pak perder, deixa fugir ainda mais os da frente e é isso que nós não queremos”, salienta o médio brasileiro Eder, conhecido por Timba, recentemente casado e de regresso ao “onze” inicial da formação de Chan Man Kin, como aconteceu na jornada anterior (2-0 à Polícia).
“O Ka I soube aproveitar bem todos os jogos que realizou, enquanto que nós tivemos pouca sorte no confronto com o Benfica, num jogo em que poderíamos ter ganho. Vai ser uma partida interessante, com vários brasileiros em campo. Penso que iremos apostar mais no contra-ataque, pois será um risco grande se entrarmos deliberadamente ao ataque. Ka I e Lam Pak têm treinadores inteligentes e vão certamente escolher a táctica ideal para um desafio desta importância.”
MONTE CARLO CAUTELOSO. O Lam Pak/Ka I fecha a sétima jornada, no domingo à tarde, imediatamente a seguir ao segundo desafio de maior importância, Monte Carlo/Polícia.
Sabe-se da habitual agressividade e robustez defensiva do Grupo Desportivo da PSP, daí se tratar de uma partida nada fácil, como refere Geofredo Sousa: “Nunca é fácil jogar contra a Polícia. Nós já nos conhecemos há vários anos e eles são fortes lá atrás e por vezes criam problemas no contra-ataque. São todos locais, sem reforços do exterior, e com espírito de grupo. Temos de ter muito cuidado. O ano passado, por exemplo, estivemos a ganhar por 2-0 e eles empataram. O segredo é concentração máxima e jogarmos o que sabemos.”
Cofi, como é conhecido no meio futebolístico da RAEM, reconhece que a equipa está bem, mas “ainda tem muito espaço para melhorar.”
SPORTING SOMA E SEGUE. No que diz respeito à II Divisão, a sexta jornada já se iniciou na quarta-feira, passando agora os jogos a serem realizados no relvado do Estádio da Universidade de Ciência e Tecnologia.
O Sporting cumpriu face aos Sub 18, com mais um triunfo, agora por 3-1, golos de Pedro Maia (2) e Pascoal Júnior, num jogo em que o camaronês Wamba se lesionou e deverá falhar pelo menos o próximo desafio.
“A equipa está bem, com boas hipóteses de fazer um campeonato positivo. Mas atenção que vêm aí jogos complicados, que poderão já começar a definir o futuro dos principais candidatos. Jogamos com Hong Ngai e Ponto 48. Estamos confiantes”, diz Rui Cid, que nesta partida voltou ao banco, para dar lugar ao veterano Dedé no eixo da defesa.
A outra equipa portuguesa, Casa de Portugal, também jogou e perdeu, por 1-0 face a um adversário “do mesmo campeonato”, Chang Wai.
A situação começa a complicar-se para a formação de Pelé.

PROGRAMA DA 7ª JORNADA
I Divisão

PROGRAMA DA 6ª JORNADA
II Divisão

 


 [Alto] [Anterior] [Voltar]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd