000primeira
010especial
020opiniao
030local
050desporto
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°4149 (Nova Série), Sexta-Feira, 9 de Novembro de 2012
QUATRO ANÉIS PENHORADOS POR 13.000 patacas
Casas de penhores queixam-se de burlas

Três casas de penhores do território foram alvo de burla por parte de cidadãos do Continente. Os proprietários apresentaram queixa na PJ por terem penhorado diversas jóias que se revelaram falsas após verificação

A Polícia Judiciária (PJ) deu conta de quatro casos que envolvem burlas em casas de penhores. No entanto ainda ninguém foi detido na sequência das investigações.
No primeiro caso, um homem do Continente deslocou-se a uma casa de penhores em Maio e penhorou um anel por três mil patacas. O dono do estabelecimento apresentou anteontem queixa na PJ, por ter avaliado a jóia e percebido que afinal era falsa.
No segundo caso, uma mulher também do interior da China penhorou um anel por quatro mil patacas, numa casa de penhores na zona do NAPE.
Os restantes dois casos relatados pelo porta-voz daquela polícia remontam ambos a Maio e aconteceram na mesma casa de penhores, situada na Taipa, em que a mesma pessoa, um homem do Continente com idade entre os 40 e os 50 anos, segundo o funcionário do estabelecimento, penhorou um anel de diamantes e um anel de prata, por três mil patacas cada peça.
A PJ admitiu ainda não ter qualquer suspeito identificado, contando apenas com as declarações dos funcionários e dos proprietários das lojas envolvidas

S.D.

Ameaçou segurança errado só por
estar a render o que atacou o pai

A PSP deteve um residente de 31 anos suspeito de ter ameaçado com uma pá das obras um segurança de um edifício no Istmo Ferreira do Amaral. O porta-voz desta força policial contou que, na verdade, o homem procurava um outro segurança que tinha “atacado” o seu pai duas horas antes. Procurando vingança, e como o guarda envolvido não se encontrava no posto de trabalho, tendo sido rendido por outro na hora de almoço, ameaçou com uma pá o segurança e chegou mesmo a partir uma mesa que se encontrava na sala de guarda do edifício. Poderá ser acusado de dano, desobediência, posse de arma proibida e injúria.

 


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd