000primeira
020opiniao
030local
050desporto
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°3978 (Nova Série), Sexta-Feira, 2 de Mar¬o de 2012
China
“Império do chá” está a render-se ao café

O mítico “Império do chá” está a render-se a todo o vapor à cafeína, excitando as multinacionais do sector, indicou o jornal China Daily

Em doze anos, a cadeia norte-americana Starbucks abriu 550 cafés em 42 cidades do continente chinês (uma média de um por semana) e espera triplicar aquele número até 2015, anunciou a directora da empresa para a China, Belinda Wong.
“É uma história de crescimento realmente excitante”, disse Belinda Wong ao China Daily.
A cadeia inglesa Costa Coffee entrou mais tarde no mercado chinês, mas já tem 120 cafés no país e prevê chegar aos 2.500 em 2018.
O terceiro lugar pertence à Pacific Coffee, de Hong Kong, com cerca de 50 cafés, concentrados em quatro cidades (Pequim, Cantão, Xangai e Shenzhen).
Quando a Starbucks abriu o primeiro café no continente chinês, em 1999, chegou a dizer-se que o negócio teria tanto sucesso como vender viagra no Vaticano.
A China é o maior produtor mundial de chá, muito à frente da India, Quénia, Sri Lanka e Turquia, os outros quatro grandes produtores.
Em casa, a esmagadora maioria dos chineses continua a preferir o chá e os restaurantes chineses não costumam servir café, mas entre a nova geração urbana, “Xin Ba Ke” (Starbucks, em chinês) já se tornou um nome familiar.
Como os concorrentes do Costa e do Pacific, os estabelecimentos daquela cadeia norte-americana funcionam também como lugar de encontro, e até de trabalho, com acesso gratuito à internet e sofás confortáveis.
E além de café, servem sumos, batidos, bolos, sandes e... chá.

JTM/Lusa

 


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd