000primeira
020opiniao
030local
050desporto
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°3666 (Nova Série), Quinta-Feira, 27 de Janeiro de 2011
Há 20 anos

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau”
27/01/1991

DELEGAÇÃO CHINESA DE VISITA A MACAU

A coordenação da actividade de controlo da fronteira entre Macau e a China foi debatida no terceiro encontro para os assuntos fronteiriços do Território e da vizinha província de Guangdong. A delegação chinesa de 15 elementos, chefiada pelo director do Departamento para os Assuntos Externos de Guangdong, Huang Quen, manteve contactos com responsáveis das forças de segurança e dos serviços de Economia de Macau, tendo sido ainda recebida pelo Encarregado do Governo. Durante a recepção à delegação chinesa, Murteira Nabo frisou a necessidade de contactos permanentes entre as duas partes para contenção de emigração clandestina e no sentido de fazer frente às necessidades acrescidas de controlo fronteiriço criadas pela adesão de Macau à Organização Marítima Internacional e ao Acordo Geral Sobre Comércio e Tarifas. Huang Quen destacou, por seu turno, a boa colaboração existente entre as autoridades de Macau e de Guangdong e a sua importância para a estabilidade e desenvolvimento do Território durante o período de transição. A cooperação entre as autoridades chinesas e portuguesas concretizou-se nomeadamente, no ano passado com a detecção pelas autoridades de Guangdong de 26 tentativas de contrabando de armas para Macau, segundo referiu um dos representantes da delegação chinesa. A delegação chinesa, que integra, também responsáveis do Departamento de Segurança de Guangdong, permanecerá e m Macau até ao próximo sábado para visitas a bairros sociais, ao porto de Ká Ho, em Coloane, e ás obras da centro de incineração da Taipa e do Aeroporto Internacional.

COMISSÃO VAI AVALIAR VINDA DE MÃO-DE-OBRA

O Executivo vai criar uma comissão de avaliação, constituída por três membros sob dependência do Governador, destinada a emitir parecer sobre todos os pedidos de autorização de contratação de mão-de-obra não residente. O diploma que cria esta comissão, ontem analisado em reunião do Governo, determina a “objectividade na apreciação dos pedidos de contratação de mão-de-obra não residente”, indexando-a aos “níveis de desenvolvimento sectorial”. De acordo com um comunicado ontem divulgado pelo gabinete de Murteira Nabo, o Executivo analisou igualmente, na reunião de ontem, um estudo sobre as alterações ao sistema financeiro de Macau, elaborado pela Autoridade Monetária e Cambial. Para além disso, e segundo o comunicado, a equipa governativa “apreciou o estudo de viabilidade do Parque Industrial da Concórdia, que constituirá um projecto integrado de áreas industriais, de serviços, comerciais e residenciais”. As indústrias a instalar na Concórdia, por determinação do Executivo, serão “não poluentes, de média e alta tecnologia e de um elevado valor acrescentado”. O Governo decidiu ainda iniciar de imediato negociações com grupos privados para a ocupação daquela área, estando previstos incentivos à instalação de indústrias.

 


 [Alto] [Anterior] [Voltar]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd