000primeira
010especial
020opiniao
030local
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°3374 (Nova Série), Sexta-Feira, 29 de Janeiro de 2010
HÁ 20 ANOS

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” 29.1.1990

AMOR E DEDINHOS DE PÉ SEMPRE SERÁ FILMADO

A rodagem da primeira película integralmente filmada em Macau, “Amor e Dedinhos de Pé”, iniciar-se-á no próximo mês de Setembro, disseram à Lusa o realizador Luís Filipe Rocha e o produtor-executlvo Tino Navarro. As filmagens prolongar-se-ão por um período de dez semanas, devendo o elenco que integrará muito provavelmente artistas de Macau, portugueses, espanhóis e franceses, estar definido dentro de dois meses, adiantaram Luís Filipe Rocha e Tino Navarro. O orçamento inicial da película ascende a 24 milhões de patacas, tendo o Instituto Cultural concedido um financiamento de doze milhões de patacas, que poderá ser recuperado posteriormente pela exploração comercial do filme. Tino Navarro, da “MGN”, de Lisboa, co-produtor do filme com a “Ou Mun Filmes”, criada em 1981 por Luís Filipe Rocha, disse contar concluir em breve as negociações em curso com produtores espanhóis e franceses interessados no projecto. Entre os produtores europeus contactados, contam-se firmas ligadas ao “Canal Plus” de “Warner Brothers”, de Espanha, bem como o “Canal Plus” francês e a produtora Monique Annaud, além de ter sido solicitada a participação da RTP, do Instituto Português do Cinema e da Teledifusão de Macau no financiamento do filme. Tino Navarro, que produziu os últimos filmes de Fonseca e Costa e a adaptação pelo realizador espanhol Zorrila do romance de Munoz Molina “Inverno em Lisboa”, cuja rodagem se inicia em Fevereiro, referiu que o orçamento da película se enquadra nos custos de produção média para um filme europeu. “Amor e Dedinhos de Pé”, com argumento de Luís Rocha e do brasileiro Luís Izaias Almada - cujo romance “A metade arrancada de mim”, foi galardoado este mês com o prémio da associação paulista dos críticos de arte -, implicará uma laboriosa recriação dos ambientes de Macau do início deste século, referiu, por sua vez, Luís Filipe Rocha. A construção e adequação dos “decores” do filme, narrando uma história de amor de típica lavra macaense, implicando quatro meses de trabalho, mas o realizador e o produtor-executivo de “Amor e Dedinhos de Pé” contam já com o apoio de entidades públicas designadamente o Leal Senado de Macau e a Câmara das ilhas – e privadas para o necessário aproveitamento de espaços públicos e jardins e residências particulares. Luís Rocha, cujo último filme “Sinais de Vida” sobre a vida e obra do escritor Jorge de Sena data de 1983, considera que o romance de Senna Fernandes tem o toque necessário para proporcionar “um filme capaz de interessar uma audiência internacional, recriando os amores e as idiossincrasias da Macau já desaparecida de 1900”.

 


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd