000primeira
020opiniao
030local
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°3281 (Nova Série), Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2009
PROBLEMAS DO JOGO NÃO TÊM DIMENSÃO GRAVE, ENTENDEM RESIDENTES
Estudo revela que expansão do Jogo em Macau melhorou qualidade de vida em Zhuhai

Um estudo levado a cabo por uma investigadora do IFT indica que os residentes de Zhuhai viram a sua qualidade de vida sofrer melhorias com a expansão do Jogo em Macau

A expansão do sector do Jogo em Macau tem um impacto positivo na forma como os residentes de Zhuhai percepcionam a evolução da qualidade de vida e imagem da cidade vizinha, revela um estudo de uma investigadora de Macau ontem divulgado.
Através de um inquérito aplicado a cerca de 200 residentes de Zhuhai, Sandy Chen, investigadora do Instituto de Formação Turística de Macau (IFT), concluiu que o desenvolvimento acelerado do sector do Jogo na região após a transferência de soberania alterou, de forma positiva, o modo como a população da cidade vizinha encara actualmente a sua vida. “A maioria dos inquiridos constatou que a expansão do Jogo em Macau trouxe mais oportunidades e benefícios do que efeitos negativos para Zhuhai e para a sua vida, de uma forma geral”, explicou a investigadora em declarações à agência Lusa.
Sandy Chen constata que os residentes de Zhuhai “sentem que a cidade mudou, que está hoje mais internacional, oferecendo melhores infra-estruturas e usufruindo de uma situação económica mais privilegiada, o que consideram ter criado novas oportunidades e proporcionado uma melhoria na qualidade de vida”. “A população de Zhuhai considera que o desenvolvimento do Jogo em Macau contribuiu para tudo isso”, sublinhou.
Do outro lado da moeda surgem algumas preocupações, com os residentes a apontarem o agravamento de certos problemas sociais derivado do crescimento do Jogo em Macau, designadamente o aumento da taxa de criminalidade, prostituição e da poluição. “Mas a população de Zhuhai considera que aqueles problemas não têm uma dimensão grave, apenas constata que são uma realidade e que aumentaram a sua proporção com o desenvolvimento de Macau enquanto cidade de jogo”, ressalvou a investigadora.
Sandy Chen, que participou ontem num seminário sobre a integração turística de Macau, Guangdong e Hong Kong, co-organizado pelo IFT e Universidade Sun Yat-Sen, considerou, porém, que Zhuhai “não se apercebeu nem explorou ainda todo o potencial turístico que a proximidade a Macau representa”. “Desde que Macau começou a construir mais casinos, em 2002, que Zhuhai registou um aumento drástico no número de turistas, devido ao movimento de jogadores do Continente e de trabalhadores não residentes de Macau, mas agora precisa de criar uma identidade própria como destino e captar mais turistas e estadias mais longas”, defendeu.
Sandy Chen realçou que Macau é conhecida pelos casinos, Hong Kong por ser uma cidade internacional e entende que Zhuhai deveria apostar em transformar-se num “destino para famílias”, de modo a que as três regiões do Delta do Rio das Pérolas sejam complementares e consigam formar um multi-destino.
“É necessária uma maior integração e cooperação entre as três regiões, o que trará benefícios para todas, ao criarem, por exemplo, programas turísticos que permitam ao turista visitar Macau, Hong Kong e Guangdong numa mesma viagem, o que tornaria a região num destino mais apelativo”, disse.

 


 [Alto] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd