000primeira
010especial
020opiniao
030local
050desporto
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2973 (Nova Série), S­bado, 1 de Novembro de 2008
DIREITOS DE AUTOR NA TRANSMISSÃO DA PREMIER LEAGUE
Cable TV prefere que o Governo intervenha na “luta” contra os “anteneiros”

A “Macau Cable TV” volta a consciencializar os residentes para a gravidade do problema dos “anteneiros” e para o assegurar dos direitos de autor que possuem na transmissão da Liga Inglesa de futebol. Para a distribuidora a melhor solução passaria por uma acção governamental

OLGA PEREIRA

“Consciencializar as pessoas”, foi esta a palavra de ordem na conferência de imprensa organizada ontem pela “Macau Cable TV”. De acordo com a directora executiva, Angela Lam, a Cable TV pretende “com a ajuda dos media”, fazer com que tanto o Governo como os residentes “se concentrem nesta questão” e que tenham “noção da seriedade do problema da pirataria”.
A questão dos “anteneiros” — companhias que distribuem ilegalmente sinais televisivos na RAEM - já se arrasta há muitos anos. Mas recentemente, a Cable TV recebeu um trunfo na “guerra” contra os “anteneiros”. Uma carta da Liga Inglesa em que é assegurado que só a Macau Cable pode transmitir a Premier League no território.
Face à passividade do Governo em relação a este assunto, uma vez que a distribuidora tem apelado ao Executivo para que tome uma decisão, até agora não adoptada, os dirigentes da MCTV decidiram reforçar a sua posição, mostrando a carta da ESPN aos jornalistas.
A mesma razão está no convite feito ao vice-presidente da ESPN STAR sports, Mike Kerr, e CEO da Associação de Transmissão de Cabo e Satélite da Ásia (CASBAA, na sigla inglesa), John Medeiros, para estarem presentes em Macau e falarem com os jornalistas.
Durante a sua intervenção, Mike Kerr, reiterou a exclusividade da Cable TV na transmissão da competição inglesa. “Sem a autorização da ESPN Star sports, qualquer transmissão dos jogos” e afins da Barclays Premiere League, “constitui uma infracção dos direitos exclusivos” garantidos pela distribuidora, avisou o responsável. Esta posição é assumida por John Medeiros ao salientar que “a defesa da nossa indústria é de uma importância vital na melhoria da protecção dos direitos de propriedade intelectual”. Para o CEO da CASBAA, todos os Governos devem ter a “responsabilidade de garantir que estes direitos estão a ser protegidos”.
Relativamente ao Executivo da RAEM, Angela Lam lamenta que este ainda não tenha tomado “nenhuma medida para parar com a pirataria” e assegurou que a Cable TV comprou todos os direitos de transmissão dos programas, inclusive os da ESPN.
“Ainda não vamos apelar aos tribunais, mas com o documento [carta] que temos, podemos tomar uma medida, a qualquer momento” explicou Angela Lam. Precisando melhor, a executiva da MCTV disse que “vamos esperar para ver se o Governo toma alguma atitude, senão tomaremos medidas legais”. De qualquer modo, reconhece que uma acção do Governo, seria a melhor solução para todas as partes, porque “se o governo tomar uma medida as pessoas vão obedecer”.


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd