000primeira
010especial
020opiniao
030local
050desporto
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2973 (Nova Série), S­bado, 1 de Novembro de 2008
ESTAVA INICIALMENTE PREVISTO QUE INAUGURAÇÃO OCORRESSE ESTE ANO
Mercado de S. Lourenço só abre em Maio do próximo ano

O novo mercado de São Lourenço não vai ver a luz do dia este ano, como estava inicialmente previsto. A obra derrapou no que toca a prazos e orçamento

EMANUEL GRAÇA

O novo complexo municipal do Mercado de S. Lourenço só vai abrir ao público em Maio do próximo ano. Quem o disse foi o presidente do Instituto para Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), Raymond Tam, que acrescentou que o orçamento inicial para a obra, de 114 milhões de patacas, já foi ultrapassado — em quanto, não disse. Na terça-feira, será levada a cabo uma cerimónia para assinalar a finalização da cobertura do complexo.
O novo mercado, cujas obras arrancaram em Agosto de 2006, vai ter um total de nove pisos, três dos quais subterrâneos, que vão servir para estacionamento e cargas e descargas. O mercado propriamente dito vai ficar alojado no rés-do-chão e no primeiro andar do complexo, com um total de 158 bancas. No segundo piso, será criada uma área de restauração, com 30 lojas. Nos restantes três pisos, será criada uma biblioteca, um centro de actividades e outro tipo de instalações destinadas ao público, nomeadamente desportivas.
O processo de demolição do antigo edifício do mercado de São Lourenço não foi pacífico. Apesar do apoio dos moradores, que defendiam o projecto pela necessidade de mais estacionamento na área e de melhores condições de vida, a Associação para a Protecção do Património Histórico e Cultural de Macau opôs-se sempre. No entanto, o IACM decidiu mesmo demolir a estrutura, construída em 1954 e projectada por Chan Kwan Pui, um dos mais importantes arquitectos de Macau do século XX.
Na área do desporto, o IACM revelou que está em construção um parque de lazer junto à saída da Ponte Sai Van em direcção à Barra. Aí, serão criadas áreas dedicadas à prática de futebol e basquetebol, além de um circuito de manutenção. De acordo com Raymond Tam, a primeira fase da obra vai estar pronta ainda este ano. Este complexo desportivo incluirá instalações sanitárias, as quais pretendem beneficiar não só os residentes, mas também os motoristas de autocarros públicos que utilizam a zona de estacionamento especial existente na Barra — a falta de casas-de-banho nesse local era uma queixa comum entre os profissionais do volante.


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd