000primeira
010especial
020opiniao
030local
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2836 (Nova Série), Ter¬a-Feira, 17 de Junho de 2008
REGIÕES PRETENDEM TROCAR INFORMAÇÕES SOBRE OS RESPECTIVOS MERCADOS

Brasil e Macau desejam cooperar em matéria de finanças

O papel de Macau como plataforma saiu reforçado com a visita de uma delegação do sector das finanças ao Brasil e a Cabo Verde

Uma deslocação ao Brasil bastou a uma delegação financeira local para ter uma perspectiva mais alargada daquilo que se passa por terras de Vera Cruz em matéria de finanças. Ambas as partes manifestaram a intenção de celebrar acordos de cooperação, reforçar a formação profissional e criar mecanismos de intercâmbio de informações sobre os respectivos mercados. Tudo isto na área de supervisão financeira e seguradora.
Por seu turno, Macau também fez uma apresentação das “armas” que utiliza em matéria de desenvolvimento económico. Segundo a Autoridade Monetária de Macau (AMCM), foi destacado o facto de Macau ser um local que dispõe de especiais privilégios linguísticos e culturais, ordenamento jurídico aperfeiçoado e internacionalização do sector - factores que constituem motores para a concretização recíproca da futura cooperação económico-financeira.
O grupo organizado pela AMCM partiu com o objectivo de fomentar o papel da RAEM como plataforma no âmbito da prestação de serviços financeiros e de viabilizar parcerias de cooperação, bem como a expansão de oportunidades de negócios com os países de língua oficial portuguesa.
De acordo com uma nota do organismo, foi com vista à implementação da política do Governo Central relativa à promoção do relacionamento económico-financeiro com os países de língua oficial portuguesa, bem como ao fomento do papel de Macau que a AMCM organizou agora uma nova delegação composta por representantes de diversos bancos e seguradoras que visitou Cabo Verde e Brasil, durante o período compreendido entre 20 de Maio a 3 de Junho de 2008.
MECANISMO TRANSFRONTEIRIÇO. O contacto com instituições financeiras locais fez com que as partes se tenham debruçado sobre a viabilidade de mecanismos de cooperação transfronteiriça.
Tiveram ainda lugar diversos colóquios entre a delegação e as associações principais dos sectores em apreço, nomeadamente, a Federação de Comércio e Indústria dos Estados de Goiás e de São Paulo, em que foi exposta a situação de desenvolvimento, em matéria de comércio e negócio e investimentos.
Já da troca de experiências com o Banco Central, os membros da delegação obtiveram informações quanto às políticas financeiras e seguradoras, estatísticas da evolução dos mercados, bem como quanto ao relacionamento interactivo entre as associações representantes do sector com as autoridades supervisoras. A abertura verificada no campo do re-seguro e a receptividade manifestada quanto à futura participação por parte dos grupos seguradores da China no desenvolvimento dessa actividade surpreenderam a delegação local. Neste âmbito, a AMCM e o Banco Central do Brasil manifestaram interesse na celebração de um memorando de cooperação, tendo sido já nomeados os responsáveis para o desencadeamento das negociações.
Sintetizando esta deslocação, a AMCM considera que foram alcançados os objectivos previstos respeitantes à promoção da troca de experiências entre as duas partes, tendo o sector financeiro obtido algumas informações sobre os mercados e estabelecido contactos preliminares.


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd