000primeira
010especial
020opiniao
030local
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2836 (Nova Série), Ter¬a-Feira, 17 de Junho de 2008
TÉCNICO IRRITADO COM ARBITRAGEM

Scolari desvalorizou derrota frente à Suíça

Portugal saiu derrotado no último jogo da fase de grupos, que marcou a despedida da selecção suíça. O treinador Luiz Felipe Scolari desvalorizou o desaire e deixou críticas ao árbitro da partida

Luiz Felipe Scolari relativizou a derrota por 2-0, frente à Suíça, no terceiro e último jogo da fase de grupos do Euro2008. “Tínhamos de ganhar os dois primeiros jogos”, limitou-se a sublinhar Scolari, salientando que “não havia mais para cobrar do que apresentaram os jogadores” portugueses que defrontaram a Suíça. No entender do técnico, o jogo com os helvéticos, que conseguiram a primeira vitória numa fase final de um campeonato europeu, mas acabou por ser eliminada, foi “normal”.
O seleccionador português mostrou-se irritado com a arbitragem do austríaco Konrad Plautz, afirmando que a formação lusa foi “participar numa festa” no adeus da Suíça ao Euro. “Errei ao fazer apenas oito substituições. Devia ter feito 11 ou 12, mas fui ingénuo, esperava um jogo normal, sem complicações, sem nada de mal. Viemos para participar numa festa”, afirmou Scolari.
“Não precisámos de correr riscos. Devia ter substituído todos e, se pudesse, não fazer substituições até ao fim. Passei o tempo todo a pedir aos jogadores que não reclamassem, que não tivessem atitudes irreflectidas, pois outros cartões cairiam”, prosseguiu o treinador.
Em relação ao futebol praticado pela selecção lusa, Scolari afirmou que a equipa “jogou razoavelmente e criou oportunidades”, mas falhou na hora da finalização: “não conseguimos concretizar”.
Já Cristiano Ronaldo assegurou que se Portugal repetir as exibições conseguidas com a Turquia e República Checa pode chegar à final do torneio. “Se jogarmos como nos dois primeiros jogos, podemos chegar à final. Já o disse e repito”, afirmou.
O internacional português, que não saiu do banco de suplentes, no âmbito do regime de “poupança” declarado por Luiz Felipe Scolari, diz ter estranhado este novo posto ao serviço da equipa das “quinas”, mas afirmou até ter apreciado a visão. “Do banco vê-se o jogo de outra forma. E percebemos até outras coisas. Não estou habituado, mas foi uma opção do seleccionador e, naturalmente, temos de respeitar”.
O médio Deco considerou que “Portugal jogou bem, mas não teve a sorte do jogo pelo seu lado”. “Jogámos bem, mas as coisas não nos saíram bem”, disse Deco, defendendo que ficou uma grande penalidade por marcar e recordando que dois lances ofensivos portugueses terminaram no ferro da baliza suíça.
Por seu lado, o seleccionador helvético, Jakob Kuhn, mostrou-se “extremamente satisfeito” com o triunfo, mas triste pelo facto de o mesmo não ter servido para mais do que uma despedida em beleza do Euro2008. “Estou extremamente satisfeito com este resultado, mas um pouco nostálgico, por nos estarmos a despedir. Acho que merecíamos ter conseguido pelo menos um ponto nos dois primeiros jogos e, dessa forma, poderíamos ter lutado pela qualificação”, disse o técnico.


 [Alto] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd