000primeira
020opiniao
030local
050desporto
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2574 (Nova Série), Quarta-Feira, 12 de Setembro de 2007
h á 2 0 a n o s

REVISTA DO GRANDE PRÉMIO GERA POLÉMICA

Pela primeira vez este ano a revista do Grande Prémio de Macau será feita fora do Território. Não vem daí grande mal ao mundo, até porque 99 por cento da população de Macau nunca viu uma revista do Grande Prémio e isso não lhe altera minimamente alegrias ou tristezas. O caso tem no entanto alguma importância, já que não foi dada nenhuma explicação válida para a decisão tomada pela Comissão Organizadora do Grande Prémio, decisão que levou a empresas interessadas em realizar esse trabalho a recorrer superiormente. Segundo o que o “Jornal de Macau” pôde averiguar junto do Secretário-Adjunto para a Economia (que exerce a tutela, dado estarem sob sua dependência os Serviços de Turismo que este ano superintendem na organização), este entendeu não dever interferir numa decisão tomada unanimemente pelo órgão competente pela organização do G.P., dado não haver qualquer ilegalidade ou irregularidade na tomada de decisão. Fica de pé, de qualquer forma, o incompreensível: o porquê de se entregarem quase cento e quarenta mil patacas a Hong Kong para a realização de um trabalho que podia perfeitamente ser feito em Macau e que aliás sempre foi. A unanimidade de opiniões nesta decisão ainda é mais surpreendente, dado que certamente a comissão é integrada por pessoas que sabem que trabalhos gráficos bastantes mais complexos são constantemente realizados em Macau, sem dar azo a quaisquer reclamações. Por outro lado a legislação existente obriga à autorização expressa do Governador para que se encomendem fora do Território encomendas que excedam cem mil patacas de produtos ou serviços possíveis de obter no Território. O Governador deu essa autorização, pelo que a legalidade não está em causa. O que se torna difícil de entender é quais as razões invocadas para justificar a excepção. O assunto, que já foi desfavoravelmente criticado por diversos órgãos de comunicação de informação, deverá merecer da Organização do Grande Prémio explicações adicionais, que aguardamos com curiosidade e interesse.

SERVIÇOS DE EDUCAÇÃO TÊM NOVO DIRECTOR

Os Serviços de Educação vão passar a ter à sua frente um novo director, o dr. Jorge Loureiro, que sucederá no cargo ao dr. Lino Ferreira que regressará em breve a Portugal. O dr. Jorge Loureiro é funcionário, superior do Quadro Único do Ministério da Educação e encontra-se a desempenhar funções nos Serviços de Administração e Função Pública, para onde tinha sido requisitado. O despacho da sua nomeação já foi assinado pela tutela e será publicado no próximo Boletim Oficial. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, Jorge Loureiro exerceu a docência nos ensinos preparatórios, secundários e médio, tendo participado em Conselhos Directivos de algumas escolas. Em 1978 foi destacado para a Direcção Geral de Pessoal do Ministério da Educação, para o exercício de funções técnicas, nas áreas da formação profissional e da gestão de pessoal docente. Integrou também gabinetes de membros do Governo, quer como adjunto quer mesmo como chefe de Gabinete.  Desde Outubro do ano passado prestou serviço técnico nos SAFP, assegurando temporariamente o cargo de director da Cadeia Central.

PJ DESCOBRE EXPLOSIVOS

Cerca de 30 caixas contendo explosivos do tipo “Tipon” (normalmente utilizado na construção civil), foram casualmente descobertas, perto de Ka Ho, por uma brigada da Policia Judiciária, quando uma viatura da corporação transitava pelo local. Segundo informações obtidas junto do Comando das FSM e PJ, entidades que estão a investigar o caso, ainda não é conhecida a origem do inusitado achado. As caixas, cada uma pesando perto de 50 libras, encontravam-se meios soterradas numa área junto à fábrica de cimento de Ka Ho, em Coloane. Depois de concluído o processo de levantamento e identificação do material explosivo este será detonado por um perito das FSM. Prosseguem as investigações policiais no sentido de se apurarem os responsáveis pelo enterro de tão estranho “tesouro”.

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau”  12.9.1987


 [Alto] [Anterior] [Voltar]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd