000primeira
020opiniao
030local
050desporto
070actual
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2539 (Nova Série), Segunda-Feira, 6 de Agosto de 2007
FÓRMULA 1 - GP Hungria
Hamilton vence corrida
marcada pela polémica

Lewis Hamilton, da McLaren/Mercedes, conquistou ontem a terceira vitória na temporada 2007, ao vencer o Grande Prémio da Hungria, em Hungaroring, e reforçou a liderança do Mundial de Fórmula 1

Hamilton, que ganhou sábado na “secretaria” a “pole” alcançada em pista pelo seu companheiro de equipa, o espanhol Fernando Alonso, que soma também três triunfos, liderou a corrida do início ao fim e segue agora sete pontos à frente do bicampeão em título.

 “Foi um fim-de-semana muito emocionante e, mesmo com todo este drama, o importante foi termos vencido e mantido a liderança. Apesar de tudo, conseguimos manter a tranquilidade”, disse o piloto inglês, desvalorizando as crescentes polémicas na equipa.

Por seu lado, o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari) ficou no segundo posto, após sair em terceiro para a corrida, tendo efectuado a volta mais rápida (a última) ao circuito húngaro, enquanto o alemão Nick Heidfeld (BMW Sauber) fechou o pódio.

Na 11a das 17 provas que compõem o Mundial, Hamilton beneficiou da “queda” de Alonso da “pole” para a sexta posição, após ser acusado de ter impedido o companheiro de equipa de efectuar a última volta de qualificação.

Raikkonen, agora a 20 pontos de Hamilton (terceiro no Mundial), ultrapassou Heidfeld logo na partida e perseguiu o inglês durante toda a corrida, mas não conseguiu melhor do que colocar-se a cerca de meio segundo do “rookie”, que nunca vacilou.

Por seu lado, Heidfeld logrou segurar na parte final o ataque de Alonso, conquistando o terceiro posto. O polaco Robert Kubica (BMW Sauber) foi quinto, seguido, respectivamente pelos alemães Ralf Schumacher (Toyota) e Nico Rosberg (Williams).

O finlandês Heikki Kovalainen, da Renault, completou a zona de pontuação, na qual não entrou o brasileiro Filipe Massa, de novo ultrapassado por Raikkonen no Mundial (59 pontos, contra 60), apenas 13o colocado, depois de ter sido 14o na qualificação.

A McLaren/Mercedes, impossibilitada de pontuar pela FIA, na sequência da penalização do “caso Alonso”, manteve, ainda assim, a liderança do Mundial de construtores, com 138 pontos, mais 19 do que a Ferrari, segundo colocada.


 [Alto] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd