000primeira
020opiniao
030local
050desporto
081jete
090cambios
091tempo
092ultima


 



 
  N°2458 (Nova Série), Quinta-Feira, 17 de Maio de 2007
As nove edições anteriores

1998 - A tacada inicial

A primeira edição do Open de Macau foi marcada pela presença de grandes nomes do golfe: Nick Faldo e Vijay Singh. No final, seria Satoshi Oide a estrear o quadro dos vencedores da competição, naquela que foi a primeira vitória de um japonês num torneio incluído no Asian Tour. Oide terminaria as quatro rondas com um total acumulado de 283 pancadas.

1999 - A transição

No ano da transição da administração de Macau, seria um europeu a vencer o Open - o britânico Lee Westwood. No “play-off”, a estrela da Ryder Cup relegou para o segundo posto o norte-americano Andrew Pitts, terminando com um total de 275 pancadas, nove abaixo do par. Quanto a outro dos grandes nomes presentes, o irlandês Darren Clarke, desiludiu, obtendo a 39.ª posição.

2000 - Uma estrela nasceu

A vitória do “rookie” Simon Dyson em Macau impressionou, com o britânico a terminar o torneio com 15 pancadas abaixo do par (269). Naquela que foi a centésima prova do Asian Tour desde o arranque do circuito, o estreante ofuscou a estrela convidada desse ano, Mark O’Meara. Provando que a sua prestação não foi por acaso, Dyson venceria mais dois torneios nessa temporada e a Ordem de Mérito asiática.

2001 - A primeira vitória de Zhang

Presença habitual desde a primeira edição do Open de Macau, Zhang Lian-wei obteve o seu primeiro título no território em 2001. O jogador chinês, natural de Shenzhen, arrancou com uma prestação fabulosa, terminando a primeira volta com três tacadas abaixo do par. No fim, o triunfo sorriu-lhe por apenas uma tacada de vantagem sobre o formosino Yeh Wei-tze.

2002 - A edição mais espectacular

A edição deste ano ficou escrita a dourado nos anais do Open de Macau. Num dramático “play-off”, Zhang Lian-wei assegurou o seu segundo título no torneio na quinta tentativa de desempate. Isto numa altura em que a noite já caía no território e era cada vez mais provável a necessidade de adiar a decisão para o dia seguinte. Uma derrota que o zimbabueano Nick Price jamais deverá ter esquecido.

2003 - A visita de um gigante

Veio com o estatuto de estrela e comprovou-o: depois de ter passado a derradeira volta sempre em segundo, o escocês Colin Montgomerie obteve um “birdie” no último buraco e obrigou a decisão do título a ser disputada num “play-off” com o australiano Scott Barr. No “mata-mata”, o homem que mais vezes ganhou o European Tour (oito, entre 1993 e 1999 e 2005) obteve novo “birdie” e levou a taça para casa.

2004 - Um americano em Coloane

Pela primeira vez, um jogador norte-americano arrebatou o triunfo no Open de Macau. No ano em que foi abandonado o troféu de porcelana (a partir de 2004, o formato da taça entregue ao vencedor tem mudado em todas as edições, sempre em metal), foi Jason Knutzon que obteve o direito a erguer o troféu, deixando o tailandês Thaworn Wiratchant a apenas uma tacada.

2005 - A hora dos veteranos

Provando que o golfe é um desporto onde a idade não é o mais importante, o formosino Wang Ter-chang conquistou o Open de Macau com 42 anos. Com um total de 270 pancadas (14 abaixo do par), o veterano ofuscou a estrela dessa edição, Fred Couples, e terminou com um jejum de títulos que já durava há seis anos. O duo australiano Jarrod Lyle e Marcus Both fechou o pódio.

2006 - Serenata à chuva

Naquela que terá sido a edição mais molhada de sempre, o estreante Kane Webber conseguiu o seu primeiro título no Asian Tour - uma proeza, tendo em conta que era o segundo torneio do circuito em que o australiano participava. Mais uma vez, a sorte não sorriu a Scott Barr, que somou novo segundo lugar, após a derrota de 2003 no “play-off” com Montgomerie.


 [Alto] [Anterior] [Voltar] [Próximo]




HOME  .  E-MAIL  .  FICHA TÉCNICA  .  EDIÇÕES ANTERIORES  .  PUBLICIDADE  .  PRIMEIRA

Copyright (c) Jornal Tribuna de Macau, All rights reserved
Design and maintainence by Directel Macau Ltd