Restaurantes chineses em Lisboa convidam autarcas e diplomatas para “limpar imagem”

“Donos de restaurantes chineses promovem terça-feira um jantar com autarcas da capital e diplomatas chineses, para reabilitar a imagem depois das inspecções sanitárias que obrigaram ao encerramento de 14 estabelecimentos no mês de Março

O embaixador da República Popular da China, Ma Enhan, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, estão entre os convidados do jantar, que decorre num dos mais antigos restaurantes chineses da capital, disse à Lusa um responsável da Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chinesa.

Segundo Man Hin Choi, daquela associação, a iniciativa surge para “fazer alguma coisa para o público ouvir a voz” dos proprietários de restaurantes chineses.

As dificuldades que os restaurantes chineses enfrentam em Portugal após a fiscalização das autoridades de segurança alimentar foram noticiadas quarta-feira pelo “Diário do Povo”.

Desde as inspecções de 30 de Março, que encontraram irregularidades em 89 por cento dos restaurantes vistoriados e resultaram no encerramento de 14 estabelecimentos, que os restaurantes chineses registam quebras “que chegam aos 50 por cento”, disse aquele responsável à agência Lusa.

“É uma pena ter chegado a este ponto”, disse Man Hin Choi à Agência Lusa, argumentando que “alguns restaurantes não respeitam as regras a 100 por cento, mas a comida chinesa continua a ser boa”.

O número de restaurantes chineses em Portugal, que chegou a exceder os mil, continua a descer: “com a quebra de receitas, muitos não vão conseguir aguentar”, disse.

O anfitrião do jantar, que decorrerá no restaurante Huatali, um dos mais antigos da capital, considera que foram as “imagens duras” das reportagens que acompanharam as inspecções que “ficaram na cabeça das pessoas”.

Chang Zhu afirma que o negócio está hoje “muito fraco”, apesar de o nome Huatali já existir “há dezoito anos” na baixa de Lisboa. “A maioria dos restaurantes sofre por causa dos erros de uma minoria”, afirmou Man Hin Choi.

O presidente e vice-presidente da Câmara de Lisboa, o embaixador e a consulesa da China estão entre as individualidades que aceitaram o convite para o jantar que assinala a “preocupação” pelo destino da restauração chinesa em Portugal, afirmou Choi.

Aquando da inspecção da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASEAE), a embaixada chinesa em Portugal contestou a operação e a comunidade chinesa e a comissão portuguesa para a igualdade contra a discriminação racial acusaram a autoridade de potenciar a xenofobia e a estigmatização dos chineses.