EMPRESÁRIOS MACAENSES EM PORTUGAL FOMENTAM INTERCÂMBIO BILATERAL
Acordo entre associações reforça “imagem de Macau”

A Associação Comercial de Macau e um grupo de empresários macaenses estabelecidos em Portugal assinaram ontem em Lisboa um protocolo que visa fomentar o intercâmbio comercial bilateral e a reforçar a imagem do território no exterior

A Delegação Económica e Comercial de Macau em Lisboa engalanou-se ontem para receber Edmund Ho, mais de 30 elementos da delegação empresarial que o acompanha na visita a Portugal e dezenas de convidados, que assistiram à assinatura de um acordo de cooperação entre a Associação Comercial de Macau e representantes de um grupo de empresários macaenses radicados em Portugal.

O acordo prevê “a criação de uma estrutura cujo objectivo é proporcionar o intercâmbio entre interesses comerciais residentes em Macau e interesses, fundamental mas não exclusivamente, residentes em Portugal”, segundo explicou aos jornalistas Rui Gomes do Amaral, presidente da Mesa da Assembleia-Geral da Casa de Macau em Portugal e um dos subscritores do protocolo.

O grupo de empresários macaenses, que funcionará de forma “totalmente independente” da Casa de Macau em Lisboa pondera agora avançar para a constituição de uma associação mas, segundo Rui Amaral, a definição da estrutura jurídica “mais adequada” carece ainda de um “levantamento que será feito em Portugal”, embora se admita que o processo possa estar concluído no próximo semestre.

Por outro lado, disse ainda o mesmo responsável, o entendimento com a Associação Comercial de Macau permitirá “divulgar e reforçar a imagem de Macau no exterior”, mediante o desenvolvimento da “componente formativa e de divulgação”. Nesse contexto, os empresários macaenses pretendem designadamente organizar seminários, foruns e encontros que possam estimular o intercâmbio de ideias, seja em Macau ou em Portugal.

Lee Peng Hong, presidente do Instituto para a Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), sublinhou na ocasião que o Governo da RAEM e a instituição que lidera dão “todo o apoio” a iniciativas deste género e lembrou que este projecto surge também na sequência da assinatura de um acordo similar, aquando da visita de Edmund Ho ao Brasil.

Realçando a “importância” da cooperação entre empresários de Macau e da diáspora, o presidente do IPIM sustentou ainda que esse primeiro passo dado então em São Paulo contribuiu para o “estreitamento das relações empresariais” entre o Brasil e a RAEM.

Ontem, foi ainda assinado um acordo de cooperação entre a Casa de Macau e a APIM que, segundo explicaram os seus presidentes - respectivamente Álvaro d’ Andrade e José Manuel Rodrigues - , prevê o lançamento de iniciativas de intercâmbio cultural, trocas de estudantes entre Macau e Portugal e apoio ao desenvolvimento do núcleo de juventude da associação sediada na capital portuguesa.

S. T.